Saiba que é possível conectar diferentes tecnologias para agilizar a comunicação

As forças de segurança pública têm enfrentado cada vez mais desafios, especialmente diante da demanda crescente por operações coordenadas e pela integração entre as polícias e outras agências. Especialistas apontam que o futuro do setor está no uso da tecnologia a serviço da proteção dos cidadãos. Essa tendência abrange várias novidades, que vão desde a adoção de técnicas de análise preditiva até uma maior coordenação entre equipes de diferentes agências. Para que isso possa acontecer, é essencial contar com uma boa infraestrutura de comunicação e, principalmente, garantir que a conexão entre os dispositivos usados pelos agentes em campo seja rápida e simples. É por isso que a integração telefonia-rádio vem se mostrando uma solução de alto valor agregado.

A segurança pública é um dos segmentos que mais se utiliza da radiocomunicação, por ser considerada uma forma de comunicação ágil e segura. Esse método é adotado na troca de mensagens entre equipes de campo, incluindo as viaturas que fazem patrulhamento ostensivo, e os centros de operações. Com os avanços tecnológicos das últimas décadas, os antigos rádios analógicos vêm sendo substituídos por sistemas digitais, que possibilitam tráfego de voz e de dados, trazendo uma série de novos recursos para as operações de policiamento. Mas ainda existem agências que mantêm os sistemas analógicos, mais vulneráveis a interceptações por parte de infratores.

Dentre os sistemas modernos adotados no Brasil, destacam-se dois padrões, que são utilizados pela maioria das agências de segurança pública: o TETRA e o APCO-25. Pensando nisso, a BYNE oferece soluções acessíveis para realizar a integração telefonia-rádio de forma simples e que facilite a coordenação entre diferentes forças de segurança.

O que é o padrão TETRA

O padrão TETRA (Terrestrial Trunked Radio) foi desenvolvido pelo Instituto de Normas Europeias de Telecomunicações (ETSI), como uma tecnologia de padrão aberto desenvolvida de forma a permitir um alto grau de interoperabilidade entre produtos (infraestrutura, terminais de rádio e outros) de diferentes fabricantes. Para garantir que os dispositivos que utilizam esse padrão sejam capazes de interoperar com outros serviços, foi criado o Processo de Certificação de Interoperabilidade TETRA, concedido após uma série de testes independentes, com diferentes marcas e equipamentos. Além disso, a arquitetura desse protocolo é totalmente escalonável, o que facilita a implementação de expansões nas redes.

Hoje, o TETRA é referência mundial, sendo adotado por diferentes serviços de missão crítica, como segurança pública, transportes, infraestrutura e forças armadas. Um de seus diferenciais é a possibilidade de customizar a cobertura, o que permite sua adoção em diferentes tipos de dispositivos e em áreas remotas.

O que é o padrão APCO-25

A tecnologia Project 25, também conhecida como APCO-25, foi desenvolvida nos Estados Unidos para substituir os rádios analógicos UHF, adicionando a possibilidade de transferir dados e viabilizando a trocas de mensagens de texto criptografadas. A ideia era aperfeiçoar as tecnologias de comunicação utilizadas na época, o que fez esse padrão ser bem aceito globalmente, tanto por agências de segurança pública e proteção quanto por serviços públicos e até mesmo em aplicações comerciais.

O padrão APCO-25 combina dispositivos instalados em veículos e rádios portáteis, com múltiplas funcionalidadesOs produtos da chamada Fase 2 do APCO-25 permitem a utilização de canais de voz TDMA, ou seja, também realizam duas chamadas simultâneas em uma mesma largura de banda.

Comparativo entre os padrões TETRA e APCO-25

Tanto a tecnologia TETRA quanto a APCO-25 oferecem transmissão de voz e dados de acordo com os requisitos mínimos para usuários de agências de segurança pública. O padrão TETRA tem funcionalidades ligadas ao aumento da eficiência e da segurança, bem como a total interoperabilidade. Já o APCO-25 é uma solução simples e confiável, que se adapta facilmente a usuários que necessitam de grandes áreas de cobertura.

Como integrar as duas tecnologias?

No Brasil, as forças de segurança pública adotam diversas marcas de equipamentos de rádio e diferentes protocolos de comunicação. Os mais comuns são o TETRA, o APCO-25 e também o DMR, padrão digital de redes móveis privadas, mas há outros em utilização no mercado. Todos esses padrões apresentam vantagens e desvantagens, por isso cada agência acaba escolhendo a tecnologia que faz mais sentido para suas necessidades. O problema é que a falta de padronização pode tornar mais difíceis as operações coordenadas entre diferentes serviços (por exemplo, polícias civil e militar, bombeiros, defesa civil, equipes de emergência) ou mesmo entre forças de diferentes cidades ou estados.

Como forma de responder a essas questões, a BYNE está preparada para atender todos os protocolos adotados pelas agências de segurança pública no Brasil. Nossa solução é preparada de acordo com os padrões internacionais DMR e APCO-25. A BYNE é associada a DMR Association e a NENA The 9-1-1 Association. E o mais importante: os consoles instalados nos centros de operações podem ser integrados de forma nativa com os dois padrões. Isso possibilita que o console ControlONE seja utilizado como uma ferramenta para facilitar a comunicação entre agentes equipados com diferentes tipos de rádio. Além disso, ao integrar a comunicação via rádio com o ControlONE, as forças de segurança passam a ter acesso a todas as informações disponíveis, como geolocalização, possibilidade de ouvir os sons do ambiente e chamadas de emergência. Outro benefício importante é a gravação de todas as chamadas de rádio e a auditoria completa nos relatórios, o que facilita as análises pós-ocorrências.

Assim, é possível dar suporte a operações coordenadas entre diferentes forças de segurança — por exemplo, numa situação em que as polícias civil, militar e federal estejam atuando em conjunto para a cobertura de um grande evento ou a realização de uma operação coordenada. As comunicações entre os agentes podem ser feitas facilmente, independentemente da tecnologia adotada por cada corporação. Da mesma forma, a integração entre chamadas feitas pelas duas tecnologias pode apoiar operações ostensivas de fronteira, interligando equipamentos de forças de segurança do Brasil e de outros países sul-americanos.

Em resumo

A BYNE se destaca no mercado nacional por conseguir integrar diversos padrões de comunicação telefonia-rádio. O console ControlONE atende a todos os protocolos de rádio utilizados no Brasil e no mundo, o que nos permite atender a clientes que precisem de integração entre diferentes tecnologias, servindo como um hub que conecta as equipes de forma simples e rápida e possibilitando que os agentes se concentrem no que realmente é importante: a proteção dos cidadãos.